Circuito Deluca

Cinco profissões mais quentes nos próximos cinco anos

Publicada em 24/08/2014 10:41

Quer ter emprego garantido em 2020? Então comece já a se preparar para as carreiras mais promissoras nos próximos cinco anos, segundo Brett King, co-fundador e CEO da Moven.

Brett esteve no Brasil esta semana para participar do Think with Google, encontros promovidos pela empresa para discutir as principais tendências do universo digital nos segmentos de Educação, Varejo, Mídia, Imobiliário e Financeiro.

O executivo abordou os impactos do comportamento do consumidor, hiperconectado, hipermóvel e hiperinformado nos serviços bancários e financeiros. E como a tecnologia pode ajudar a inovar e dinamizar as instituições financeiras.

Mostrou exemplos de como as mudanças no comportamento do consumidor e a adoção de tecnologias digitais (mobilidade e mídias sociais, principalmente), estão mudando significativamente a dinâmica do marketing, forçando os bancos a otimizarem os mecanismos de alcance das marcas.

E como o relacionamento mais estreito com os clientes vem  revolucionando as práticas de negócio, forçando o uso de todos os canais disponíveis, para se manter competitivo. Afinal, o consumidor de hoje exige uma experiência multicanal e atendimento ágil em diferentes telas.

Tudo isso está transformando também o mercado de trabalho.

Segundo King, cinco profissionais serão imprescindíveis para os bancos no curto prazo. São eles:

- Cientistas de dados  -  responsável por descobrir quando, por que e como os consumidores usam os produtos e serviços da instituição (empresa), analisando estatísticas e dados obtidos em todos os canais disponíveis. Em meio a uma montanha de dados, o cientista de dados deve localizar padrões e identificar insights, fornecendo subsídios para que empresas identifiquem o melhor caminho para conduzir os negócios e conquistar diferencial competitivo.

- User Experience Designer - responsável pelo projeto de sistemas e aplicações, a partir do entendimento do que os clientes precisam,  e quando. Deve ser capaz de combinar pesquisa, design centrado no usuário, tecnologia e marketing para atender aos objetivos dos clientes e garantir aplicações intuitivas e divertidas de usar.

- Psicólogo behaviorista (comportamental) - profissional capaz de  antecipar as necessidades e a relevância dos produtos bancários para os clientes, através da análise de aspectos subjetivos do comportamento dos clientes. E não há nada mais subjetivo e difícil de medir do que a experiência do cliente com produtos e serviços.  É a experiência que vai nortear a tomada de decisões futuras do consumidor a respeito da empresa, criar percepção e, consequentemente,  fidelidade.

-  Algorithmic Risk Specialist - profissional responsável  avaliar o risco  da oferta de determinados produtos e serviços, em tempo real, a partir do emprego de fórmulas matemáticas muito complexas.

- Community Advocacy Builder – responsável por promover boas relações com os clientes, e zelar pela forma como as instituições (empresas)  e  seus produtos tornam-se mais estreitamente integrados com a vida diária do consumidor.

Bom, o que vale para os bancos, vale também para todo e qualquer segmento que lide diretamente com esse novo consumidor.

Os negócios do futuro dependerão ainda mais de engajamento e relevância. E esses são os profissionais por trás da engrenagem.

  • Lucas

    Psicólogo comportamental? Acho que vai passar ainda mais fome.

  • Alan

    se você for um profissional ruim “passará fome” em qualquer carreira!

  • http://www.samuelcorradi.com.br/ Samuel Corradi

    Acho que ele está falando até pelo fato desse ramo da psicologia não ser muito adotado pelos profissionais.

  • Tati Vargas

    Se não é muito adotado, quem o fizer valorizará seu passe.

  • Denis Oliveira Vasconcelos

    Vai depender se esse profissional realmente irá valorizar sua mão de obra, ou irão vendê-la por banana.

  • http://www.samuelcorradi.com.br/ Samuel Corradi

    Pode ser. Ela não é adotada em terapia. Mas se o behaviorismo tiver utilidade nessa abordagem mercadológica, temos milhões de psicólogos por aí.

  • http://www.samuelcorradi.com.br/ Samuel Corradi

    Se os psicólogos se organizassem como os médicos se organizam, iriam nadar em dinheiro. Pra mim é a profissão do futuro.