Circuito Deluca

Instagram, cada vez mais o queridinho das marcas

Publicada em 28/05/2014 16:19

No fim de abril, um estudo da Forrester Research apontou o Instagram como a melhor rede social para as marcas interagirem com os usuários, a partir da análise de 2.5 mil posts em sete redes sociais diferentes.

O engajamento dos usuários no Instagram, segundo a Forrester, foi 58 vezes maior do que no Facebook e 120 vezes maior que no Twitter. Um dos posts feitos pela Red Bull (um vídeo) foi curtido por apelas 2,6 mil do 43 milhões de fãs da página da marca no Facebook. Já no Instagram, o mesmo vídeo foi curtido por mais de 36 mil perfis. Detalhe: o perfil da Red Bull no Instagram tem 1,2 milhão de seguidores, número muito inferior à página no Facebook.

Outra pesquisa recente, da L2, 93% das marcas de luxo estão no Instagram, o que representa crescimento de 30% se compararmos a julho do ano passado. Um dos motivos é o fato de a taxa de engajamento do Instagram ser 15 vezes maior que a do Facebook.

No Brasil não é diferente. Dados recentes da comScore revelam crescimento expressivo de uso da rede social.


Números que têm levado as marcas nacionais a se interessarem cada vez mais pela plataforma. A barra de cereal Nutry é uma delas. O perfil @nutryoficial entrou no ar no último mês e é gerenciado pela agência InPress. De acordo com a empresa, o Instagram tornou-se importante ferramenta para consolidar o conceito e o portfólio de uma marca, bem como compartilhar esse conteúdo, inclusive em outras redes sociais.

A Havas também usou o Instagram para tentar fazer reverberar a campanha promocional do Citroën C4 Lounge, destacando um de seus recursos mais atraentes: a câmera de ré. A ação de de guerrilha, segundo a Havas, consistiu em mapear os principais influenciadores e celebridades brasileiras no Instagram, transmitindo a mensagem da marca e convidando para conhecer o novo carro.

A equipe da Havas passou a monitorar a timeline de algumas celebridades brasileiras no Instagram. Ao perceber o momento oportuno – geralmente um post que continha um photobomb – enviavam uma mensagem contextualizada, relacionada à situação constrangedora: “Evite imprevistos. Conheço o novo Citroën C4 Lounge com câmera de ré”.

A Havas afirma que a  ação, intitulada C4 Instabomb, impactou mais de 23 milhões de usuários somente no Instagram. Os números estão sendo contestados.  A ação estaria impactado mais usuários do que os números levantados pela comScora em fevereiro. Estariam inflados? Estariam considerando todos os amigos dos amigos que poderiam em algum momento ter visto a publicação?

De qualquer modo, diante do uso cada vez mais intenso que as marcas estão fazendo da rede como ferramenta de marketing digital, sem investir em formatos publicitários, os gestores do  Instagram decidiram agir para evitar colocar em risco seus sonhos de monetização. Em fevereiro passado, lançaram o livro The Instagram Handbook for Brands. O livro apresenta 11 marcas que tiveram sucesso Instagram, publicando conteúdo mais envolventes na rede. O livro foi distribuído para prováveis anunciantes na rede social.

O Instragram também tem investido em vídeos direcionados a prováveis annciantes, como este abaixo,  mostrando como eles podem aproveitar melhor a rede se tiverem acesso às ferramentas certas.