Circuito Deluca

Entenda como o aplicativo de busca do Google usa a voz para dialogar com você

Publicada em 12/05/2014 17:51

Desde hoje, o aplicativo de busca do Google nos dispositivos móveis (Android e iOS) não só está ouvindo as suas perguntas, como também respondendo por voz, e em português.

Antes, já era possível realizar pesquisas por comandos de voz, mas as respostas eram apenas textuais.

Por trás da novidade há muito trabalho das equipes de pesquisadores do Google nos Estados Unidos, Israel, Japão, Rússia e, sobretudo, no Brasil (em Belo Horizonte) e também muitos poder de processamento distribuído na nuvem do Google em todo o mundo. Razão pela qual, quanto melhor a conexão 3g, 4G ou WiFi, melhor o diálogo entre o dispositivo do usuário e a ferramenta de busca.

“Parte da busca é executada no próprio aparelho do usuário, mas a maior parte é executada na nuvem”, explica Bruno Possas, engenheiro-chefe de Buscas do Google em Belo Horizonte.

Tudo começa com a gravação do comando de voz captado pelo microfone da barra de busca do dispositivo. Na sequência, a gravação é enviada para os servidores do Google e transformada em texto. Ruídos ambiente podem atrapalhar esse processo. Essa é a primeira etapa a ser superada. O texto é analisado pelos computadores do Google, que tentam entender sua semântica – se é uma ação, uma pergunta, etc…

Se for uma ação (abrir um e-mail, ou ser acordado a tal hora), muitas vezes o próprio celular se encarrega de executá-la, principalmente em se tratando de dispositivos Android. “No iOS nem sempre conseguimos permissão para executar determinadas tarefas”, diz Bruno.

Já se for uma consulta, ela é executada como qualquer outra consulta aos sistemas de busca do Google atualmente.

Onde entra a novidade? Na resposta. Se o sistema do Google for capaz de identificar uma resposta única, o texto é convertido em áudio e enviado de volta ao dispositivo.

“Nem sempre conseguimos identificar uma resposta única. Nesse sentido temos muitas possibilidades de melhorias”, afirma Bruno. “Nossa ferramenta de busca tem muito o que evoluir”, completa. “Por exemplo, aproveitar o contexto da primeira pergunta para responder as perguntas seguintes é uma operação tecnicamente muito difícil, que pode falhar feio. Por isso, só prosseguimos quando temos certeza da resposta”, completa.

Atualmente, segundo o engenheiro-chefe, as respostas únicas são extraídas do Painel de Conhecimento do Google. O que aumenta as chances de êxito do novo sistema para buscas mais comuns e acontecimentos recentes.

As equipes do Google estão trabalhando também em uma maior integração da busca com outros serviços da empresa, como é o caso do Google Maps. E também na melhoria das consultas a outros tipos de registros.

Por exemplo: é fácil responder o resultado do último jogo do Flamengo. Já não é tão fácil dizer quem foram os jogadores que fizeram os gols, porque esta informação não está no Painel de Conhecimento.

Hoje, um dos grandes orgulhos da equipe do Google é o fato do sintetizador de voz que lê as respostas estar funcionando muito bem. “O usuário consegue ouvir, sem se incomodar tanto. Sabemos que ainda precisamos fazer alguns ajustes, como no caso do fonema O em algumas palavras continuar muito aberto”, comenta Bruno.

A intenção da Google é continuar aprimorando o sistema, pelas facilidades e possibilidades que pode trazer para a interação dos usuários com os dispositivos vestíveis, como o Google Glass. “Quanto mais serviços do Google estiverem integrados aos comandos de voz, melhor será a experiência do usuário”, argumenta Bruno, adiantando que uma das melhorias no sistema é o encadeamento da busca sem a necessidade de o usuário tocar na tela do aparelho para ativar o microfone. “O comando “OK Google Now”, que precede os comandos de voz em dispositivos Android, não pode fazer com que a busca perca a referência da pergunta anterior”, afirma o engenheiro.

O mesmo princípio vale também para o uso da busca por voz em automóveis.

Como se vê, os desafios são muitos. Mas a Google já começou a trabalhar para superá-los.

O novo mecanismo de busca do Google está disponível a partir de hoje para os mais de 105 milhões de usuários de internet no Brasil. Você pode acessá-la do seu dispositivo com sistema operacional Android ou iOS, e também no navegador Chrome.